Um estudo publicado em janeiro de 1998 no “New England Journal of Medicine” concluiu que mulheres que eram obesas antes de engravidarem tinham gestações de maior risco. Reportou que a primeira gestação de mulheres obesas estava associada a um aumento no risco de bebês natimortos, risco esse 4 vezes maior do que em mulheres magras. O estudo define como obesa a mulher que apresenta índice de massa corporal maior do que 30 (IMC = peso dividido pela altura em metros ao quadrado).
Pesquisadores também concluíram que partos muito prematuros (de menos de 32 semanas de gestação) eram mais freqüentes em obesas na primeira gestação.

Além dos riscos para o feto, mulheres obesas são mais propícias a desenvolver problemas relacionados à gravidez, como hipertensão, diabetes e pré-eclâmpsia. Complicações no parto também são mais comuns, como: tempo prolongado de trabalho de parto, parto difícil e maior necessidade de cesariana.

O ideal então é tentar perder peso antes de engravidar. Mas esse emagrecimento deve começar um ano antes do início da gestação, para que seja gradativo e não cause riscos nutricionais para a mulher. Não é indicada a perda de peso no início da gestação, quando o risco de privação nutricional para o feto é maior em relação ao peso da mãe.

Compartilhar: