As duas principais formas de diabetes são diabetes dependente de insulina (DMDI), o qual aparece na juventude ou em decorrência de uma reação auto-imune; e o diabetes não dependente de insulina (DMNDI), que, em geral, aparece na idade adulta e é decorrente da resistência à insulina. O tipo não-insulinodependente é mais comum, constituindo cerca de 90% de todos os diabéticos. Os carboidratos simples de alto índice glicêmico aumentam a glicemia, agravando o diabetes.
Segue abaixo uma orientação dietética generalizada:

ALIMENTOS COM BAIXOS TEORES DE CARBOIDRATOS SIMPLES

– leite desnatado, café, chá, suco de frutas
– queijos
– verduras, legumes e frutas
– carnes magras
– cereais integrais
– óleo vegetal em pouca quantidade (não usar em frituras)
– feijão, ervilha, soja, lentilha, vagem

ALIMENTOS COM TEOR MODERADO DE CARBOIDRATOS

– bolachas de água e sal, de água e torradas (evitar os que têm gordura hidrogenada)
– batata, mandioca, beterraba, arroz, macarrão, milho verde

ALIMENTOS RICOS EM CARBOIDRATOS SIMPLES

– açúcar, mel, doces, sorvetes, gelatinas
– pudim, compotas, frutas secas e cristalizadas
– rocas, tortas, balas, biscoitos, chocolates
– massas como: lasanha, caneloni, ravioli
– pizzas
– farinhas ( mandioca, milho, trigo, aveia)
– refrigerantes
– bebidas alcoólicas

RECOMENDAÇÕES

– evitar o uso do açúcar
– praticar exercícios físicos regularmente
– alimentar-se de 3 em 3 horas
– dar preferência aos alimentos ricos em fibras: cereais integrais, vegetais crus e frutas

ALIMENTOS FUNCIONAIS QUE AUXILIAM NO TRATAMENTO DO DIABETES E HIPERGLICEMIAS:
– batata yacon auxilia no controle da glicemia, e pode ser ingerida batida com suco de fruta 15 a 20 minutos antes das refeições principais
– Levedo de cerveja: rico em cromo e vitaminas do complexo B, que auxiliam na regulação da glicemia
– Canela: auxilia a reduzir os níveis glicêmicos: consumir ½ colher de chá por dia (evitar durante a gestação e na hipertensão)
– Fibras solúveis: pectina, polifenóis solúveis, gomas e mucilagens, presentes nas frutas cítricas, maçã, abacate, legumes, cevada, aveia, quinua e centeio
– Farinha da casca de maracujá: contém fibras solúveis que auxiliam na eliminação do excesso de glicose.
– Peixes de águas frias e profundas (cavala, arenque, salmão, atum, truta) são ricos em ômega 3: incluir no cardápio pelo menos 2 vezes por semana.

Importante: Esta orientação é genérica, e portanto não substitui a consulta com um nutricionista.

Compartilhar: