Esses distúrbios ocorrem mais comumente em mulheres obesas, acima de 40 anos de idade. As doenças mais comuns são a discinesia biliar (a bile se acumula na vesícula, causando um aumento de pressão e sensação de mal estar), colelitíase (formação de cáculos biliares sem infecção), e colecistite (inflamação da vesícula devido aos cálculos).
Pelo fato das gorduras estimularem a secreção da vesícula e a ação de seu esfíncter, estas devem ser evitadas por todos os pacientes com problemas de vesícula.
Segue abaixo uma orientação dietética generalizada:

ALIMENTOS POBRES EM GORDURAS

– leite desnatado, café, chá, suco de frutas;
– pão diet, integral, de glúten, arroz, macarrão, grãos integrais, bolacha de água e sal,
torrada, bolacha maria, maizena;
– queijo fresco magro, cottage ou ricota, iogurte e coalhada desnatados;
– gelatina, frutas, sorvete de frutas sem leite;
– açúcar, mel, marmelada, goiabada, doces em calda;
– carnes magras, peixes, aves ( ensopados, cozidos ou refogados em pouco
óleo vegetal );
– ovos cozidos, poché ( 1 vez por semana );
– pudim, merengue, bolo simples tipo pão de ló.
– fibras: farelo ou fibra de trigo, aveia, grãos integrais, vegetais crus, frutas com casca ou bagaço.

ALIMENTOS RICOS EM GORDURAS OU QUE PREJUDIQUEM SEU METABOLISMO

– leite integral, tipo A ou B, queijos amarelos, requeijão;
– chocolate, doces que contenham banha, biscoitos amanteigados, tortas,
pastelaria, doces folhados;
– banha de porco, gordura animal;
– carnes gordas, lingüiça, paio, salsicha, pele de aves, galinha cozida, carne
de porco, pato, ganso, costeleta, mocotó;
– lanches, caldo de carne;
– atum, salmão, sardinha enlatados;
– mortadela, presunto, salame, copa, lombinho;
– manteiga;
– sopas prontas;
– frutas oleaginosas, como: nozes, castanhas, amêndoas, amendoim;
– frituras, gratinados, preparações sautê;
– maionese;
– miúdos: fígado, rim, coração, moela;
– bebidas alcoólicas.

Importante: Esta orientação é genérica, e portanto não substitui a consulta com um nutricionista.

Compartilhar: