• DIETNET
    Nutrição sob medida.

Mudar não é fácil, quebrar hábitos mais difícil ainda! Difícil, mas não impossível!
Ao longo de nossa vida vamos adquirindo hábitos, que muitas vezes não são saudáveis, e precisamos mudar, pois temos um compromisso com nós mesmos de promover a nossa própria saúde e qualidade de vida.
É normal que fiquemos em dúvida entre mudar ou não. A mudança parece difícil e até mesmo inatingível. Os obstáculos são tantos e, além de tudo, isso implica, muitas vezes, em deixar de ter o prazer que determinados hábitos nos dão, como por exemplo, o alimentar.
Provavelmente estas idéias já passaram em sua cabeça, mas é importante ter em mente que com uma boa dose de determinação você pode atingir os seus objetivos rumo a uma vida mais saudável. O primeiro passo é desejar, planejar e implementar a mudança. Você tem que se comprometer!
Trabalhe seu auto-conhecimento, analise o que é realmente importante para você, isto vai ajudá-lo a tomar decisões e mudar atitudes.
Quais mudanças você deseja fazer?
Escolha objetivos possíveis, mesmo que você tenha que conquistá-los pouco a pouco. Metas inatingíveis são o caminho mais fácil para a frustração. Caso você deseje realizar mais de uma mudança, mesmo que elas estejam relacionadas, estabeleça prioridades.
O que você quer mudar primeiro? Quando realizamos muitas mudanças de uma só vez, dificultamos ainda mais o processo, o que pode fazer com que desanimemos logo no início, por enfrentarmos vários obstáculos. Uma dica é começar pelo que você considera mais fácil de ser mudado. Quando você alcança um objetivo você se sente mais motivado, mais auto-eficaz para buscar os próximos.
Transforme os lamentos em decisões. Deixe a atitude passiva de lado e assuma, para si, a responsabilidade de promover mudanças. Muitas vezes mudar implica em fazer escolhas, ganha-se por um lado e “perde-se” por outro.
Para conseguir cada vez mais estímulo, pense sempre nas vantagens que você terá com a mudança que vai realizar. Quando os obstáculos surgirem, coloque-os na balança para avaliar se eles realmente existem, qual o peso deles e, principalmente, se eles são superiores às vantagens da mudança.
Não se esqueça que uma situação pode ser boa ou ruim de acordo com a interpretação que você faz dela. Muitas vezes criamos os problemas com nossos próprios pensamentos.
Se eu acredito que sou capaz, vou atrás dos meus objetivos, pois sei que vou alcançá-los!
Por outro lado, se me acho incapaz, nem ao menos irei tentar, ou desistirei no primeiro obstáculo, pois já estou certo do meu fracasso. Por isso, reavalie sempre a sua forma de pensar. Pense positivamente, isso o ajudará a superar todas as barreiras!
Em alguns momentos é comum que surja um diálogo interno e você oscile entre continuar o processo ou cair em tentação para voltar ao mesmo padrão de alimentação que você apresenta. É importante identificar estas tentações para que você procure enfrentá-las. Crie estratégias para evitá-las ou superá-las.
Você é o único responsável pela sua mudança, mas pode contar com a ajuda de outras pessoas e até mesmo lugares.
Lembre-se que durante o processo de mudança é normal que aconteçam recaídas, mas não considere isto como um fracasso, procure tirar destes momentos todo aprendizado possível. Aproveite a recaída como uma lição valiosa para encarar os novos desafios, e não como prova de incapacidade.
Acredite sempre em você e na sua capacidade de mudança! Lembre-se sempre que você tem autonomia para mudar seu modo de viver.
A seguir, descreveremos cada estágio de motivação e daremos algumas dicas do que fazer em relação à mudança, de acordo com a fase que você se encontra.

PRÉ-CONTEMPLAÇÃO:
Se você ainda não reconhece que apresenta um problema, não admite que a sua saúde e bem-estar podem ser comprometidos e não apresenta o desejo de mudar, por mais que as pessoas digam sobre as conseqüências negativas de uma alimentação inadequada ou do excesso de peso, você provavelmente está na fase de pré-contemplação. Neste estágio, é comum ter como foco os obstáculos e “sacrifícios” da mudança. A palavra-chave neste momento é RESISTÊNCIA.
Se você se identifica nesta fase, procure ler um pouco mais sobre as vantagens de uma alimentação saudável.
Você já tentou se imaginar como será sua vida após a mudança? Pense em todos os benefícios que você terá ao adquirir um hábito alimentar mais saudável. Procure visualizar-se após os resultados obtidos.
Não se esqueça que você pode ser um modelo de identificação tanto positivo, quanto negativo para as outras pessoas. Elas podem se espelhar em seu comportamento alimentar. O que é bastante comum na relação entre pais e filhos, por exemplo.

CONTEMPLAÇÃO:
Se você já reconhece a necessidade de mudar, mas ainda oscila entre o desejo de mudança e o de manter o mesmo comportamento alimentar, pois ainda pensa muito nas “dificuldades” que irá enfrentar, é bem provável que você esteja na fase de contemplação. A palavra-chave neste momento é AMBIVALÊNCIA. Tome cuidado com a procrastinação, ou seja, em ficar sempre adiando o início da mudança.
Muitas vezes a pessoa não se sente motivada a mudar, pois já passou por experiências frustradas na tentativa de uma vida com novos hábitos. Não ter obtido sucesso outras vezes, não é garantia de fracasso de uma próxima. Aproveite as experiências passadas para identificar o que atrapalhou você a conquistar o seu objetivo, identifique também tudo o que ajudou neste processo de mudança.
Você conhece alguém que realizou mudanças nos hábitos alimentares e obteve sucesso? Que tal conversar com esta pessoa e saber um pouco mais sobre este processo, as dificuldades que ela enfrentou e, principalmente, sobre as vantagens que ela sentiu com as mudanças?
Lembre-se que uma dificuldade que esta pessoa encontrou pode não ser tão grande para você.

PREPARAÇÃO:
Se você já verbaliza o desejo de mudar, planeja e começa a criar estratégias que favoreçam a mudança, ou seja, apresenta sinais de que está pronto para o início, você está em preparação. A palavra-chave neste momento é DETERMINAÇÃO. Provavelmente, no último ano você teve uma atitude em prol da mudança.
O que você acha de estabelecer uma data para começar de fato a mudança? Escolha uma data significativa para você ou comemorativa. Uma data para ser lembrada. É hora de evoluir para fase seguinte e colocar as estratégias em ação.

AÇÃO:
Se você já está colocando em prática as estratégias e realizando as mudanças, parabéns, você está na fase de ação. A palavra-chave para este momento é CONCRETIZAÇÃO.
Esta fase tem como característica a motivação para adquirir novos hábitos. Neste momento, já podem ser notados os benefícios que você terá com o novo comportamento alimentar.
É muito importante identificar os obstáculos para a mudança e buscar alternativas de superá-los. Não desanime! O sabor da vitória após ultrapassá-los tornará você cada vez mais forte para realizar as mudanças. Se existe mais de uma barreira a ser superada, procure enfrentá-las uma de cada vez, de preferência, das mais fáceis para as mais difíceis. Vistos de forma conjunta os obstáculos podem parecer intransponíveis, por isso estabeleça prioridades.
Não se esqueça de sempre observar os ganhos que você obteve com a aquisição de um novo hábito alimentar. Busque o apoio de pessoas e lugares que possam te ajudar no seu processo de mudança.

MANUTENÇÃO:
Se você já realizou a mudança e lida melhor com as situações tentadoras, sente-se capaz de ter uma alimentação e estilo de vida mais saudável, você está na fase de manutenção. A palavra-chave neste estágio é PERMANÊNCIA.
Parabéns pelas mudanças, mas é importante neste momento é continuar a investir no processo para evitar as recaídas.
Identifique tudo que é uma tentação e que pode fazer com que você vacile em manter o novo comportamento. Pense sempre nas vantagens de mudar o seu comportamento alimentar.
O que já aconteceu de bom com sua mudança?
Tenha estratégias que possam favorecer a manutenção de um estilo de vida mais saudável.
OBSERVAÇÃO: Estas fases não acontecem de forma linear, uma após a outra. O caminho ideal para a mudança seria em linha reta, mas é normal que aconteçam altos e baixos, períodos de maior motivação e outros com menor motivação. O importante é não desistir e investir no seu bem-estar e em sua qualidade de vida.

Compartilhar: