Estudos realizados em universidades norteamericanas revelaram a existência, na casca da uva, de uma substância conhecida como resveratol, encontrada em maior quantidade no vinho tinto, que tem o efeito de diminuir as taxas de ldl, ou seja, o “mau” colesterol da corrente sanguínea, e que também aumenta as taxas de hdl, o “bom” colesterol, responsável por remover as partículas de gordura do vasos sanguíneos. O vinho ainda contem antioxidantes flavonóides, que dificultam a ligação das placas de gordura às membranas dos vasos e também possuem uma ação anticoagulante semelhante a da aspirina. A quercetina, também encontrada nesta bebida, constitui importante agente antiinflamatório e imunomodulador.

De qualquer forma, deve-se salientar que o consumo desta bebida alcoólica deve ser moderado, uma vez que o álcool, quando consumido em doses elevadas, pode causar ressaca, enxaqueca, sonolência, atuar como depressor do sistema nervoso central, alterar os reflexos normais do indivíduo. Alem disso, para os indivíduos preocupados com a manutenção do peso, é necessário esclarecer que 1 dose (100ml) de vinho tinto seco fornece 66 calorias e a mesma quantidade do branco doce fornece 153 calorias.
O recomendado, então, é o consumo de, no máximo 1 taça de vinho tinto em cada refeição: almoço e jantar.

Compartilhar: